Integração entre o trabalho Colaborativo

Gramática, sintaxe, semântica, morfologia, acentuação, pontuação… Não há como negar a riqueza da Língua Portuguesa, afinal tudo começa ou acaba em palavras. Mas, como asserir tantas informações? Como aprender e ensinar tamanha complexidade linguística? Os alunos do 4ºC/D e 5ºB (Ensino Fundamental I) têm aliado às aulas de Português um importante recurso metodológico do século XXI: o ensino híbrido.

Falar em educação híbrida é partir do pressuposto de que não há uma única forma de aprender e, por consequência, não há uma única forma de ensinar. Há um “blended” entre mobilidade e conectividade que favorece um processo educativo mais aberto e criativo.

“A integração entre o trabalho colaborativo, o uso das tecnologias digitais, a combinação de aprendizagens por desafios, às aulas invertidas ou trabalho com rotação por estações (os estudantes são organizados em grupos, e cada um desses grupos realiza uma tarefa de acordo com os objetivos do professor para a aula) é muito importante para que os alunos aprendam fazendo, aprendam juntos e aprendam no próprio ritmo. Ter como base o ensino híbrido proporciona momentos de aprendizagem e troca. Além do fato de tornar a aprendizagem mais significativa, pois há um objetivo comum a ser alcançado pelo grupo”, afirma a professora Daniela.

 

Professora Daniela B.

Bookmark the permalink.
Divina Acontece